quinta-feira, 31 de julho de 2008

ideas /para além das aromáticas



* Nenhuma vivência passada condiciona de modo absoluto o presente.
* Os sacrifícios de hoje não proporcionam a felicidade de amanhã, apenas decepções. As hipóteses de estarmos bem dispostos amanhã aumentam se a boa-disposição existir já hoje.
* É provável que haja mais pessoas à minha volta atormentadas com dúvidas idênticas às minhas. Pode bem acontecer que venha de uma pessoa que eu tenha classificado como inimigo.
* Se agi movido pela força de um exemplo de vida alheio, não poderei assacar-lhe a responsabilidade dos meus actos.
* O meu sofrimento não é função de opções de outrem, mas das minhas.
* Se a disposição de hoje não é absolutamente subordinável à de ontem e menos ainda à de amanhã, então é um valor primitivo, um puro acto de invenção.
* A minha boa disposição não é mais que a resultante geométrica da boa disposição dos que me rodeiam.
* Há três esferas de afectividade principais, sendo a mais próxima a família e a mais distante a nação (a intermédia pode ser o clube, uma associação, o local de trabalho, etc, e satisfaz as minhas necessidades gentílicas).
A regra de ouro: quanto mais pequeno o raio da esfera de afectos, maior a sua importância e também a sua complexidade.
* Aprendemos mais com os erros que com os sucessos.
* As consequências dos actos devem ter um prazo de validade (não há estigmas nem recompensas vitalícios).
* A crítica é para ser usada de modo comedido e ajustado.
* A liberdade tem a exacta medida da responsabilidade.
* Os meus pensamentos são função estrita das minhas vivências; não tenho o direito de supôr que vivências alheias devam produzir pensamentos semelhantes.
* Melhorar uma situação é sempre possível, mas é muito difícil conhecer bem todas as suas condicionantes.
* A vida é intrinsecamente frágil, complexa e efémera; fortes, grosseiramente simples e quase eternos são os canhões...e os paralelos da rua.
* Descobrir a beleza da vida não vem de brinde; é preciso (procurá-la)encontrá-la.
* Repetir uma afirmação anteriormente feita enfraquece-a.
* Adivinhar é pecado - este ditado brasileiro tem sido demasiadas vezes esquecido.

2 comentários:

Passiflora Maré disse...

Gosto especilamente da máxima:
A liberdade tem a exacta medida da responsabilidade.
Poucos a sabem e muitos a abusam.

Maria Bernarda disse...

Estas máximas são fantásticas regras de vida. Pena a gente esquecer-se tanto. Mas estou absolutamente de acordo com o realce da passiflora. Maria Bernarda